quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Ranking de Reclamações - Outubro / Novembro 2010

Demorei um pouco para postar, mas em compensação vamos de dose dupla hoje, com a divulgação das reclamações dos serviços bancários das instituições com mais de um milhão de clientes em outubro e novembro de 2010, dados divulgados pelo Banco Central.

A grande diferença desse para o de setembro é o grande número de reclamações dos bancos que passaram por fusões ou aquisições - BB comprou a Nossa Caixa Nosso Banco de São Paulo, Santander comprou o Banco Real e o Itaú que juntou as operações com o Unibanco - o número de outras reclamações do Santander em outubro, por exemplo, chegou a mais de 1000!!!!!

O que esperamos é que esses bancos possam se reestruturar e começar a atender melhor seus clientes, pois nós clientes merecemos. Quer entender melhor? Então acesse o primeiro post da nossa série.

Outubro 2010
Posição Instituição Reclamações Procedentes Clientes Índices Reclamações Improcedentes Outras Reclamações
Cong. Itaú 143 20.585.875 0,69 124 892
Cong. BB 195 30.452.117 0,64 172 820
Cong. Santander 116 20.670.299 0,56 129 1571
Cong. Bradesco 115 27.978.125 0,41 108 542
Cong. HSBC 16 4.318.823 0,37 24 109
------------------------------------------------------------------------------------------------

Novembro 2010
Posição Instituição Reclamações Procedentes Clientes Índices Reclamações Improcedentes Outras Reclamações
Cong. Itaú 149 20.585.875 0,72 114 865
Cong. BB 192 30.452.117 0,63 201 733
Cong. Bradesco 105 27.978.125 0,38 101 644
Cong. Santander 77 20.670.299 0,37 95 858
Cong. HSBC 10 4.318.823 0,23 28 98

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

O que é o Custo Efetivo Total (CET)?


Você já deve ter reparado quando tira um extrato da sua conta corrente, ou quando chega a fatura do seu cartão de crédito a sigla CET seguida de uma taxa percentual, mas afinal o que é esse CET? Para que ele serve?


O Custo Efetivo Total (CET) é a taxa percentual que engloba todos os custos pagos na contratação de empréstimos e financiamentos, dois dos serviços bancários mais utilizados pela população.

Desde 6 de dezembro de 2007 as instituições financeiras são obrigadas, pela resolução CMN 3.517a demonstrar aos seus clientes os juros reais cobrados nessas operações antes de sua contratação, o cliente pode a qualquer momento também solicitar essas informações após adquirir o serviço. O CET também deve ser anunciado caso a instituição financeira faça alguma propaganda que ofereça esses tipos de serviços.

A taxa do CET deve ser demonstrada em forma de percentagem anual, e deve ser calculada com base não apenas na taxa de juros cobrada pelo serviço, mas também deve englobar tarifas, tributos, seguros e outras despesas cobradas na contratação.


Mas afinal onde você vai utilizar essas informações de CET? Por englobar não apenas a taxa de juros, mas tudo o que está sendo cobrado pela instituição financeira, o cliente consegue comparar, desculpe o trocadilho, de maneira efetiva as taxas reais sobre um mesmo empréstimo.


Abaixo segue a simulação de cálculo do CET retirada do Banco Central do Brasil:
Por exemplo, suponha um financiamento nas seguintes condições:

·  Valor Financiado - R$ 1.000,00
·  Taxa de juros - 12% ao ano ou 0,95% ao mês
·  Prazo da operação - 5 meses
·  Prestação mensal - R$ 205,73

Além desses dados, considere também a hipótese de pagamento à vista (sem inclusão no 
valor financiado), dos seguintes valores:

·  Tarifa de confecção de cadastro para início 
de relacionamento - R$ 50,00
·  IOF - R$ 10,00

De acordo com a fórmula da Resolução CMN 3.517, de 2007, o FCo (valor do crédito 
concedido) e o FCj (valores cobrados pela instituição), seriam os seguintes:

·  FCo = R$ 940,00
·  FCj = R$ 205,73

Considerando as prestações pagas a períodos fixos, e utilizando as fórmulas de matemática financeira (por meio de uma planilha de cálculo eletrônica ou calculadora científica), o cálculo do CET ficaria assim:


205,73(1+CET)¹ + 205,73(1+CET)² + 205,73(1+CET)³ + 205,73(1+CET)4205,73(1+CET)5


CET = 43,93% ao ano ou 3,08% ao mês.


Fonte: Banco Central do Brasil www.bcb.gov.br

domingo, 14 de novembro de 2010

Ranking de Reclamações - Setembro 2010

Divulgando agora o ranking de reclamações sobre os serviços bancários prestados pelos bancos brasileiros, aqui estão os 5 conglomerados financeiros, com mais de um milhão de clientes, que tiveram mais reclamações no mês de Setembro de 2010:

Posição Instituição Reclamações Procedentes Clientes Índices Reclamações Improcedentes Outras Reclamações
Cong. BB 254 30.452.117 0,83 156 793
Cong. Itaú 160 20.585.875 0,78 118 878
Cong. Bradesco 212 27.978.125 0,76 159 583
Cong. HSBC 11 4.318.823 0,25 27 101
Cong. Santander 46 20.670.299 0,22 44 340

Aparecem aqui os mesmos 5 bancos do ranking anterior, a principal diferença está na inversão de posição entre HSBC e Santander e o aumento expressivo do índice de reclamações do Bradesco: de 0,43 para 0,76.

Lembrando que as informações aqui divulgadas tem como fonte o Banco Central do Brasil; para entender mais sobre o ranking de reclamações veja o primeiro da série.

Top 10 taxas de juros: Cheque Especial 13.11.2010

Depois de um tempo sem aparecer aqui estou trazendo nosso Top 10 com as maiores taxas de cheque especial dos bancos brasileiros, as que estão aqui hoje foram publicadas em 13/11/2010 e são do período de 26/10/2010 a 01/11/2010.

Todas as informações aqui divulgadas tem como fonte o site do Banco Central do Brasil (www.bcb.gov.br).


1º Citibank                         9,84% a.m. (1)[7]
2 º Banestes                       9,23% a.m. (4)[7]
3 º Santander Brasil            9,14% a.m. (2)[7]
4 º HSBC Bank Brasil        9,06% a.m. (3)[7]
5 º BRB Banco de Brasília  8,96% a.m. (5)[7]
6 º Banrisul                         8,93% a.m. (6)[7]
7 º Banco JBS                    8,54% a.m. (7)[7]
8 º Banese                          8,47% a.m. (8)[7]
9 º Rendimento                   8,45% a.m. (10)[5]
10 º Bradesco                    8,41% a.m. (0)*[4]

*Banco não constava no Top 10 anterior

Lembrando apenas que o número entre parênteses representa a posição do instituição no top 10 anterior e o número entre colchetes quantas vezes ela já figurou aqui antes, mais informações veja o nosso primeiro post da série.

A média de juros dessa sessão foi de 8,90% a.m. o que a torna a segunda maior taxa registrada desde que começamos a verificação, abaixo segue a lista completa:

1º 8,96% a.m. divulgada em 17/08/2010
2º 8,90% a.m. divulgada em 13/11/2010
3º 8,89% a.m. divulgada em 07 e 28/08, 25/09/2010
4º 8,87% a.m. divulgada em 09/10/2010
5º 8,86% a.m. divulgada em 11/09/2010
6º 8,85% a.m. divulgada em 03/09/2010

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Top 10 taxas de juros: Cheque Especial

O nosso Top 10 de hoje foi divulgado pelo Bacen em 09/10/2010 e compreende as taxas efetivas no período de 22/09/2010 a 29/09/2010. Não está muito diferente do nosso anterior, e como sempre temos o banco Citibank como a instituição com a maior taxa de cheque especial.

1º Citibank                        9,71% a.m. (1)[6]
2º Banco Santander           9,21% a.m. (2)[6]
3º HSBC Bank                  9,17% a.m. (3)[6]
4º Banestes                      9,10% a.m. (4)[6]
5º BRB Banco de Brasilia  8,95% a.m. (5)[6]
6º Banrisul                        8,70% a.m. (6)[6]
7º Banco JBS                   8,54% a.m. (7)[6]
8º Banese                        8,48% a.m. (9)[6]
9º Itaú Unibanco                8,48% a.m. (8)[5]
10º Banco Rendimento      8,39% a.m. (0)*[4]

*Banco não constava no Top 10 anterior

Apenas lembrando que o número que aparece em parênteses mostra a posição do banco no Top 10 anterior, e o número entre colchetes mostra quantas vezes esse banco já apareceu no nosso ranking; veja uma explicação mais detalhada aqui.
Quanto a taxa média temos a terceira maior média do nosso histórico com 8,87% a.m., veja a seguir a posição da taxa dentro do nosso histórico:

1º 8,96% a.m. divulgada em 17/08/10
2º 8,89% a.m. divulgada em 07 e 28/08, 25/09/2010
3º 8,87% a.m. divulgada em 09/10/2010
3º 8,86% a.m. divulgada em 11/09/10
4º 8,85% a.m. divulgada em 03/09/2010  

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Alineas e Motivos de Devolução de Cheques

Depositou um cheque que acabou sendo devolvido e não sabe o que aquele número do motivo da devolução quer dizer? Ou ainda passou um cheque que foi devolvido e quer ter certeza do motivo da devolução? Abaixo seguem os motivos das devoluções de cheques e o significado de suas respectivas alíneas - o número que representa o tipo de devolução - para que você entender melhor esse serviço bancário; para cada alínea digo se pode ou não haver reapresentação do cheque.

  • 11 – Cheque sem fundos – 1ª Apresentação – Pode ser reapresentado
  • 12 – Cheque sem fundos – 2ª Apresentação – Não pode ser reapresentado
  • 13 – Conta encerrada – Não pode ser reapresentado
  • 14 – Prática espúria – Não pode ser reapresentado
  • 20 – Folha de cheque cancelada por solicitação do correntista – Cheque em Branco – Não pode ser reapresentado
  • 21 - Contra-ordem (ou revogação) ou oposição (ou sustação) ao pagamento pelo emitente ou pelo portador – Não pode ser reapresentado
  • 22 – Divergência ou insuficiência de assinatura – Se for divergência não pode ser reapresentado, se for falta de Assinatura pode ser reapresentado
  • 23 - Cheques emitidos por entidades e órgãos da administração pública federal direta e indireta, em desacordo com os requisitos constantes do artigo 74, parágrafo 2º, do decreto-lei nº 200, de 25.02.67 – Não pode ser reapresentado
  • 24 – Bloqueio Judicial ou Determinação do Bacen – Não pode ser reapresentado
  • 25 – Cancelamento de talonário pelo participante sacado – Sustação efetuada pelo Banco – Não pode ser reapresentado
  • 26 – Inoperância temporária do transporte – Pode ser reapresentado
  • 27 – Feriado municipal não previsto – Pode ser reapresentado
  • 28 - Contra-ordem (ou revogação) ou oposição (ou sustação), ocasionada por furto ou roubo – Não pode ser reapresentado
  • 29 - Cheque bloqueado por falta de confirmação de recebimento do talonário pelo correntista – Pode ser reapresentado desde que o dono do talonário efetue o desbloqueio
  • 30 - Furto ou roubo de malotes – destinado a amparar a devolução de cheques objeto de furto ou roubo de malotes – Não pode ser reapresentado
  • 31 - Erro formal (sem data de emissão, com o mês grafado numericamente, ausência de assinatura ou não registro do valor por extenso) – Pode ser reapresentado desde que a correção do erro não resulte em rasura
  • 32 - Ausência ou irregularidade na aplicação do carimbo de compensação – Não pode ser reapresentado
  • 33 - Divergência de endosso – Não pode ser reapresentado
  • 34 - Cheque apresentado por Participante que não o indicado no cruzamento em preto, sem o endosso-mandato – Não pode ser reapresentado
  • 35 - Cheque fraudado, emitido sem prévio controle ou responsabilidade do Participante ("cheque universal"), ou ainda com adulteração da praça sacada, e cheques contendo a expressão "PAGÁVEL EM QUALQUER AGÊNCIA" apresentados em desacordo com o estabelecido na seção 2-1-18 – Não pode ser reapresentado
  • 37 - Registro inconsistente – compensação eletrônica – Não pode ser reapresentado
  • 40 - Moeda inválida – Não pode ser reapresentado
  • 41 - Cheque apresentado a Participante que não o sacado – Pode ser reapresentado
  • 42 - Cheque não compensável na sessão ou sistema de compensação em que apresentado – Pode ser reapresentado
  • 43 - Cheque, devolvido anteriormente pelos motivos 21, 22, 23, 24, 31 e 34, não passível de reapresentação em virtude de persistir o motivo da devolução – Não pode ser reapresentado
  • 44 - Cheque prescrito – Não pode ser reapresentado
  • 45 - Cheque emitido por entidade obrigada a realizar movimentação e utilização de recursos financeiros do Tesouro Nacional mediante Ordem Bancária – Não pode ser apresentado
  • 46 - Comunicação de Remessa, quando o cheque correspondente não for entregue ao Participante sacado nos prazos estabelecidos – Não pode ser reapresentado
  • 47 – Comunicação de Remessa com ausência ou inconsistência de dados obrigatórios referentes ao cheque correspondente – Não pode ser reapresentado
  • 48 - Cheque de valor superior a R$ 100,00 (cem reais), emitido sem a identificação do beneficiário, acaso encaminhado a Compensação, devendo ser devolvido a qualquer tempo – Pode ser reapresentado desde que se coloque nominal no cheque
  • 49 - Remessa nula, caracterizada pela reapresentação de cheque devolvido pelos motivos 12, 13, 14, 20, 25, 28, 30, 35, 43, 44 e 45, podendo a sua devolução ocorrer a qualquer tempo – Não pode ser reapresentado
  • 59 - Informação essencial faltante ou inconsistente não passível de verificação pelo Participante remetente e não enquadrada no motivo 31 – Não pode ser reapresentado
  • 60 - Instrumento inadequado para a finalidade – Não Pode ser reapresentado
  • 61 - Papel não compensável – Não pode ser reapresentado
  • 64 - Arquivo lógico não processado / processado parcialmente – Não pode ser reapresentado
  • 71 - Inadimplemento contratual da cooperativa de crédito no acordo de compensação – Não pode ser reapresentado
  • 72 - Contrato de compensação encerrado – Não pode ser reapresentado.



sábado, 25 de setembro de 2010

Top 10 taxas de juros: Cheque Especial

Continuando com o Top 10 das maiores taxas de cheque especial cobradas pelos bancos brasileiros aqui no Serviços Bancários divulgando as informações que estão disponibilizadas no site do Bacen (www.bcb.gov.br).
As taxas aqui divulgadas são do período 08/09/2010 a 14/09/2010 e foram divulgadas em 25/09/2010.


1º Citibank                          9,63% a.m.(1)[5]
2º Santander (Brasil)            9,21% a.m. (2)[5]
3º HSBC Bank Brasil           9,20% a.m. (3)[5]
4º Banestes                         9,09% a.m. (3)[5]
5º BRB Banco de Brasília     8,97% a.m. (5)[5]
6º Banrisul                          8,92% a.m. (6)[5]
7º Banco JBS                     8,54% a.m. (8)[5]
8º Itaú Unibanco                  8,52% a.m. (10)[4]
9º Banese                            8,48% a.m. (9)[5]
10º Bradesco                        8,39% a.m. (0)*[3]

*Banco não constava no Top 10 anterior

Quanto a média das taxas tivemos a repetição - pela terceira vez - da taxa de 8,89% a.m. que é a segunda mais alta desde quando começamos a fazer nosso ranking, seguem as taxas médias:

1º 8,96% a.m. divulgada em 17/08/10
2º 8,89% a.m. divulgada em 07 e 28/08, 25/09/2010
3º 8,86% a.m. divulgada em 11/09/10
4º 8,85% a.m. divulgada em 03/09/2010

Quer entender melhor o ranking? Acesse o primeiro da série aqui.

sábado, 18 de setembro de 2010

O que é um Caixa Automático (ATM)?

Caixa Automático, Caixa Eletrônico ou ATM - do inglês Automatic Teller Machine - nada mais é que um meio criado pelos bancos para facilitar as transações bancárias, no caixa automático o cliente é responsável por toda a operação dessa maneira os custos de transação das ATMs são mais baratos do que aqueles realizados na boca do caixa.

Nos caixas eletrônicos é possível fazer desde operações simples, como saque, retirada de extrato e depósitos, até transações mais complexas - possível em alguns bancos - como aplicação em fundos de investimento.

Os caixas automáticos funcionam os sete dias da semana das 06:00 as 22:00 em quase a totalidade dos pontos de acesso - alguns locais como aeroportos e hospitais podem ter esse horário estendido, porém o valor para saque é reduzido e fica a cargo de cada instituição financeira deixar ou não seu terminal de auto-atendimento funcionando - essa restrição de horário se deve para tentar aumentar a segurança dos correntistas, evitando sequestros relâmpagos por exemplo. Os valores limites das operações (como saques) variam conforme o banco.

No  Brasil contamos com uma rede Banco 24horas, da empresa TecBan (Tecnologia Bancária www.tecban.com.br), os corremtistas das instituições que fazem parte desse acordo podem efetuar transações em mais de 9000 caixas eletrônicos da rede espalhados por todo o país, os bancos participantes estão listados a seguir:
  • American Express
  • Banco Alfa
  • Banco Banif
  • Banco BMG
  • Banco Cruzeiro do Sul
  • Banco da Amazônia
  • Banco do Brasil
  • Banco do Nordeste
  • Banco Fator S.A.
  • Banco ibi
  • Banco Nossa Caixa
  • Banco PanAmericano
  • Banco Votorantim Cartões
  • Banese
  • Banestes
  • Banpará
  • Banrisul
  • BicBanco
  • Bradesco
  • BRB
  • Cacique
  • Caixa Econômica Federal
  • Carrefour Soluções Financeiras
  • Cartão Viva! Unimed
  • Cetelem-Aura
  • Citibank
  • Credicard
  • Diners
  • Fininvest
  • HSBC
  • Itaú Unibanco
  • Losango
  • Mercantil do Brasil
  • Safra
  • Santander
  • Sicoob
  • Sicredi
  • Unicard Unibanco
  • Unik
Outro serviço que pode ser efetuado via caixa automático são os depósitos, muitos clientes não gostam e/ou não se sentem confiantes de realizar transações por esses meios, mas o depósito via ATM é tão ou mais seguro que o realizado na boca do caixa pois a transação é toda monitorada, como? Vamos lá, quando você está no ambiente dos caixas automáticos existe uma câmera do circuito interno filmando toda a sua movimentação, até a abertura do envelope pelos funcionários do banco (os envelopes são abertos na presença de dois funcionários) sempre existirá uma câmera para garantir a segurança, o comprovante que será emitido pelo terminal é sua garantia, caso a máquina não emita o comprovante procure um funcionário do banco, se efetuou o depósito em fins de semana ou feriado utilize o telefone localizado dentro do auto-atendimento.

Uma desvantagem do depósito na ATM para o convencional é que o depósito em dinheiro realizado pelo meio eletrônico apenas entrará na conta quando for efetuada a conferência do depósito, já depósitos em cheque como precisam ser compensados são, na realidade, até mais praticos de serem efetuados via Caixa Automático.

Para encerrar uma dica importante, existe um boato na internet que diz que, em caso de sequestro, se o cliente digitar a sua senha de maneira invertida o caixa efetuará o saque e chamará a polícia, essa informação é falsa, o máximo que poderá acontecer é o bloqueio da sua senha após algumas tentativas o que poderá colocá-lo mais em risco do que já está, se essa informação fosse veridica porque os caixas automáticos teriam horário restrito de funcionamento?

Ranking de Reclamações - Agosto 2010

Estou divulgando aqui hoje a nova tabela com as cinco instituições financeiras que mais tiveram reclamações sobre seus serviços bancários no mês de agosto segundo dados do Banco Central.
Podemos perceber, quando comparado ao ranking anterior, que houve um grande aumento das reclamações contra o BB e Itaú, primeiro e segundo respectivamente do ranking, reclamações geradas em sua maioria, talvez, pelos processos de aquisição que esses bancos estão passando?
No entanto Bradesco, Santander e HSBC tiveram uma queda no número de reclamações, sendo que no fim do ranking tivemos uma troca de posições entre Santander e HSBC, que aparecem em quarto e quinto, respectivamente, nesse ranking enquanto ocupavam posições inversas no outro.
Segue a tabela com o ranking atualizado:

PosiçãoInstituiçãoReclamações ProcedentesClientesÍndicesReclamações ImprocedentesOutras Reclamações
Cong. BB28430.452.1170,93159979
Cong. Itaú16320.585.8750,79154939
Cong. Bradesco11927.978.1250,4398527
Cong. Santander5620.670.2990,2740364
Cong. HSBC104.318.8230,231897

domingo, 12 de setembro de 2010

Top 10 taxas de juros: Cheque Especial


Em mais uma semana estou aqui divulgando as taxas de cheque especial cobradas pelos bancos brasileiros, elas são retiradas com base na divulgação do BCB e as que estão aqui divulgadas hoje são do período de 24/08/2010 a 30/08/2010 e foram divulgadas em 11/09/2010.

1º Banco Citibank SA                               9,47% a.m.(1)[4]
2º Banco Santander (Brasil) SA                9,19% a.m. (2)[4]
3º HSBC Bank Brasil SA Banco Múltiplo   9,11% a.m. (3)[4]
    Banco Banestes SA                             9,11% a.m. (4)[4]
5º BRB Banco Brasília                              8,96% a.m. (5)[4]
6º Banrisul                                               8,76% a.m. (6)[4]
7º Banco Rendimento SA                          8,58% a.m. (0)*[3]
8º Banco JBS                                           8,54% a.m. (7)[4]
9º Banese                                                8,48% a.m. (8)[4]
10º Itaú Unibanco                                      8,44% a.m. (9)[3]

*Banco não constava no Top 10 anterior

Sem muitas novidades nesse nosso ranking, vide os números entre conchetes e parênteses, para entender mais sobre esses números acesse o primeiro post da série.

Enquanto a taxa média de juros do período é a segunda mais baixa, como podemos ver abaixo:

1º 8,96% a.m. divulgada em 17/08/10
2º 8,89% a.m. divulgada em 07 e 28/08/10
3º 8,86% a.m. divulgada em 11/09/10
4º 8,85% a.m. divulgada em 03/09/2010

Códigos de Bancos na Compensação


Abaixo seguem os códigos dos principais bancos brasileiros no sistema de compensação nacional, esses códigos são utilizados nos serviços bancários entre bancos, como por exemplo a compensação de cheques, no envio de TED/DOC, até nos boletos que pagamos todos os dias, a relação completa contendo todos os bancos pode ser encontrada no site do Banco do Central (http://www.bcb.gov.br), na seção Serviços ao Cidadão, fonte desse meu post.

356 – ABN Amro Real
003 – Banco da Amazônia
096 – Banco BMF
719 – Banco Banif
318 – Banco BMG
004 – Banco do Nordeste do Brasil
237 – Banco Bradesco
001 – Banco do Brasil
070 – Banco de Brasília
104 – Caixa Econômica Federal
745 – Banco Citibank
756 – Banco Cooperativo do Brasil – Bancoob
021 – Banestes
037 – Banpará
041 – Banrisul
047 – Banese
265 – Banco Fator
224 – Banco Fibra
399 – HSBC Bank Brasil
341 – Itaú Unibanco
079 – Banco JBS
389 – Banco Mercantil do Brasil
045 – Banco Opportunity
623 – Banco Panamericano
422 - Banco Safra
033 – Banco Santander
250 – Banco Schahin
409 – Unibanco

sábado, 4 de setembro de 2010

Ranking de Reclamações - Julho 2010

Quem procura serviços bancários procura além do melhor serviço bom atendimento e cumprimento das leis pelas instituições financeiras, portanto a partir de hoje vou mostrar aqui o ranking mensal do Banco Central de reclamação dos bancos com mais de um milhão de clientes.

São cinco os itens abordados nessa lista, o primeiro mostra quantas reclamações o Bacen julgou como procedente, isso é, quantas reclamações os bancos tiveram que descumpriram normativos do Conselho Monetário Nacional (CMN) e do BC. O segundo item mostra o número de total de clientes protegidos pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) da instituição; o terceiro, chamado de índice, é o resultado da divisão do número de reclamações dividido pelo número de clientes e multiplicado por 100.000 (cem mil). O quarto item mostra o número de reclamações improcedentes, isso é, reclamações que ficaram comprovadas, por parte de informações cedidas pelos bancos, que não houve descumprimento dos normativos do CMN e do BC. A quinta e última mostra o número de reclamações que não envolvem desrespeito aos normativos, como as ligadas a atendimento por exemplo.

No último ranking divulgado pelo Bacen era essa a situação:

PosiçãoInstituiçãoReclamações ProcedentesClientesÍndicesReclamações ImprocedentesOutras Reclamações
Cong. BB19030.452.1170,62167950
Cong. Itaú10420.585.8750,51132755
Cong. Bradesco13627.978.1250,4994539
Cong. HSBC174.318.8230,3922108
Cong. Santander6720.670.2990,3279884

Top 10 taxas de juros: Cheque Especial

Nessa primeira semana de Setembro o nosso ranking não muda muito se comparado com o da semana anterior, nas oito primeira posições nenhuma mudança, a maior novidade é que pela primeira vez os dois maiores bancos privados do país aparecem na nossa relação.

Então vamos a elas, os dados aqui mostrados foram divulgados pelo Banco Central em 03/09/2010 e são com referência no período de 17/08/2010 a 23/08/2010.

1º Banco Citibank SA                               9,59% a.m. (1)[3]
2º Banco Santander (Brasil) SA                9,19% a.m. (2)[3]
3º HSBC Bank Brasil SA Banco Múltiplo   9,17% a.m. (3)[3]
4º Banco Banestes SA                              9,10% a.m. (4)[3]
5º BRB Banco de Brasília SA                    8,96% a.m. (5)[3]
6º Banco do Estado do RS SA                  8,69% a.m. (6)[3]
7º Banco JBS                                           8,54% a.m. (7)[3]
8º Banco do Estado de SE SA                  8,48% a.m. (8)[3]
9º Itaú Unibanco                                       8,43% a.m. (10)[2]
10º Banco Bradesco SA                           8,42% a.m. (0)*[2]

*Banco não constava no Top 10 anterior

Só lembrando que os números que aparecem entre parênteses mostram a posição da instituição do Top 10 anterior e o número entre conchetes quantas vezes ela já apareceu anteriormente.

A boa notícia dessa semana é que a média das taxas é a mais baixa desde que começamos fazer a medição das taxas, ficando em 8,85% a.m., veja abaixo:

1º 8,96% a.m. divulgada em 17/08/10
2º 8,89% a.m. divulgada em 07 e 28/08/10
3º 8,85% a.m. divulgada em 03/09/2010

Entenda mais sobre o nosso ranking, clique aqui.

sábado, 28 de agosto de 2010

Top 10 taxas de juros: Cheque Especial

Passando mais uma vez para continuar com o nosso top 10 das mais altas taxas de juros de cheque especial de conta corrente divulgadas pelo BACEN, os dados dessa semana referem-se ao perído entre 11/08/2010 a 17/08/2010 e foram divulgados em 28/08/2010, são eles pela ordem:

1º Banco Citibank SA                                9,68% a.m. (1)[2]
2 º Banco Santander (Brasil) SA                9,19% a.m. (4)[2]
3 º HSBC Bank Brasil SA Banco Múltiplo   9,16% a.m. (3)[2]
4 º Banco Banestes SA                             9,12% a.m. (2)[2]
5 º BRB Banco de Brasília SA                   8,97% a.m. (5)[2]
6 º Banco do Estado do RS SA                 8,87% a.m. (6)[2]
7 º Banco JBS                                          8,55% a.m. (8)[2]
8 º Banco do Estado de SE SA                  8,48% a.m. (9)[2]
9 º Banco Rendimento SA                         8,46% a.m. (7)[2]
10 º Itaú Unibanco                                     8,45% a.m. (0)*[1]
*Banco não constava no Top 10 anterior

Lembrando que o número entre parênteses refere-se a posição da instituição no Top 10 anterior e o número entre conchetes a quantidade de vezes que ela apareceu anteriormente em nosso ranking.

Aproveitando também vamos divulgar a média da taxa de cheque especial desse novo período que foi de 8,89% a.m., igual a média das taxas divulgadas em 07/08/2010, como você pode ver abaixo:

1º 8,96% a.m. divulgada em 17/08/10
2º 8,89% a.m. divulgada em 07 e 28/08/10

Quer saber mais? Acesse o primeiro Top 10 da série.

O que é uma Conta Poupança?


Segundo informações do Banco Central a poupança deve atingir a marca recorde de R$350 milhões agora no mês de agosto (2010), mas afinal como que esse serviço bancário tão popular funciona?

A Conta Poupança é um investimento de baixo risco, e como todo investimento de baixo risco, trás um baixo retorno também, mas porque tantos brasileiros investem nela então? Primeiro porque, como já disse antes, é o investimento mais comumente conhecido no país, podemos dizer também que por ter uma rentabilidade mínima de 0,5% a.m. (ao mês) o que equivale a 6,17% a.a. (ao ano) mais o valor da TR (Taxa Referencial - que é baseada na taxa SELIC e na média das taxas de CDB pré-fixado de 30 dias), trazem ao poupador a garantia que seu dinheiro não “renderá negativamente”, como acontece com fundos multi mercado e de ações por exemplo. A poupança sempre irá render no mínimo 0,5% a.m. caso a TR fique negativa, seu valor deve ser considerado zero.

Outro fator que pesa a favor da caderneta de poupança é o fato de não haver cobrança de IOF (Imposto Sobre Operações Financeiras) e IR (imposto de renda) para pessoas físicas e pessoas jurídicas sem fins lucrativos, para pessoas jurídicas com fins lucrativos o IOF também é isento, mas existe a cobrança de alíquota de 20% de IR. É a isenção desses impostos mais o rendimento fixo que atraem os investidores quando a uma redução na taxa SELIC. Lembrando que os valores aplicados até R$60.000,00 em conta poupança são garantidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), sendo que essa garantia é por CPF, e não por conta.

Outra informação importante sobre a caderneta de poupança é que parte de seus depósitos, 65%, devem ser utilizados para financiamentos do SFH (Sistema Financeiro da Habitação).

Os rendimentos da poupança são creditados após 30 dias do depósito, por exemplo, um depósito realizado em 01/08 terá seus rendimentos creditados em 01/09, sendo que pra cada deposito realizado em dias diferentes será criada uma data base diferente, por exemplo, se houver um deposito na conta do exemplo anterior no dia 02/09 a conta passará a ter dois dias bases 01 e 02 – os depósitos realizados nos dias 29, 30 e 31 são contados como se tivessem sido feitos no primeiro dia do mês posterior.

Como os rendimentos da poupança são calculados mensalmente eles são calculados pelo menor saldo do período, tomando como exemplo um saldo de R$100,00 no inicio do mês e um saque de R$70,00 antes do dia 14, o valor do rendimento será calculado sobre os R$30,00 restantes. O rendimento da poupança é igual independente do banco em que ela esteja aberta, por isso se seu banco tiver um sistema de subconta que identifique em qual foi creditado o rendimento há menos tempo e realiza o resgate nela você ganhará um pouco mais; caso o aniversario da poupança caia em finais de semana ou feriados procure sacar após essas datas para não perder o rendimento.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

O que é um DOC e o que é uma TED?

Afinal o que é uma TED e o que é um DOC e qual a diferença entre esses dois serviços bancários? Tanto o DOC (documento de crédito) e a TED (transferência eletrônica disponível) são maneiras de realizar transferências interbancárias, isso é, transferência envolvendo dois bancos distintos, elas se diferem no tempo de compensação e no valor em que podem ser emitidas.

Para efetuar qualquer uma dessas transferências é necessário que se informe o banco, agência e conta, nome e principalmente o CPF do favorecido - mesmo que o favorecido seja o próprio emitente, doc tipo "D" - sem essas informações não é possível realizar a transferência.

Desde janeiro de 2016 foi retirado o valor mínimo para o envio de TEDs, assim é possível efetuar essa transferência de qualquer valor. O valor entra na conta do destinatário de forma on-line - entre 5 e 30 minutos da emissão. A transferência somente é realizada com valor disponível na conta do emitente, portanto, não há riscos de devolução por insuficiência de fundos; esse tipo de transferência pode ser efetuado até as 17 horas e não é estornável.

O DOC pode ser realizado para valores até R$4999,99 - no momento fica a critério do cliente enviar DOC ou TED até o valor de R$4999,99, no entanto, caso você não consiga enviar a TED até as 17 horas você pode optar pelo DOC - o valor é disponibilizado para o favorecido no próximo dia útil a sua emissão - em alguns casos o crédito pode ocorrer em até dois dias úteis, isso acontece caso ela seja emitida após o horário limite, geralmente entre em 19 e 20 horas, ou em feriados e finais de semana - o DOC pode ser devolvido por alguns motivos como os que seguem:

40 Moeda inválida.
51 Divergência no valor recebido.
52 Recebimento efetuado fora do prazo.
53 Apresentação indevida.
54 Ausência ou irregularidade do carimbo de compensação (ordem bancária e ficha de compensação, exceto bloquetos de cobrança).
55 Ausência ou irregularidade da autenticação mecânica.
56 Transferência insuficiente para a finalidade indicada no DOC - Documento de Crédito.
57 Divergência ou não-preenchimento de informação obrigatória nos DOCs e Ordens Bancárias.
58 Crédito destinado à conta de poupança em outras instituições.
59 Ausência da expressão "Transferência Internacional em Reais - Natureza da Operação".
61 Papel não-compensável.
62 DOC "D" - Com divergência na indicação do número do CPF / CNPJ.
63 Registro inconsistente.
64 Arquivo lógico não-processado ou processado parcialmente.
66 DOC "D" - De conta individual (único CPF) para conta conjunta (2 CPFs) e vice-versa.
67 DOC "D" - Sem a indicação do tipo de conta debitada ou creditada.


Assim como a TED o DOC também não é estornavel.

Na próxima vez em que for sacar um valor elevado para realizar um depósito em outro banco pense na possibilidade de envio de um DOC ou uma TED os riscos são bem menores.

sábado, 21 de agosto de 2010

Top 10 taxas de juros: Cheque Especial

Hoje divulgo o segundo Top 10 com as maiores taxas de cheque especial divulgadas pelo BACEN - acesse o primeiro post da série e entenda mais -, as de hoje compreendem o período de 29/07/2010 a 04/08/2010 e foram divulgadas em 17/08/2010.

Lembrando que o número que aparece entre parênteses - ( ) - mostra a posição da instituição no Top 10 anterior, e o número entre conchetes - [ ] - mostra quantas vezes ela já apareceu em nosso ranking.

1º Banco Citibank                                    9,99% a.m. (1) [1]
2º Banco Banestes SA                             9,21% a.m. (4) [1]
3º HSBC Bank Brasil SA Banco Múltiplo   9,19% a.m. (2) [1]
4º Banco Santander (Brasil) SA                 9,18% a.m. (3) [1]
5º BRB Banco de Brasília SA                    8,96% a.m. (5) [1]
6º Banco do Estado do RS SA                  8,88% a.m. (8) [1]
7º Banco Rendimento SA                          8,73% a.m. (6) [1]
8º Banco JBS                                           8,54% a.m. (7) [1]
9º Banco do Estado de SE SA                  8,48% a.m. (9) [1]
10º Banco Bradesco SA                           8,45% a.m. (0)* [0]**
*Banco não constava no Top 10 anterior.
**Banco apareceu pela primeira vez no Top 10.

Outra informação que divulgarei a partir dessa publicação é a média das 10 maiores taxas no período e a comparação com as outras já divulgadas. A dessa semana foi 8,96% a.m., o que a deixa como a mais alta dos dois levantamentos até então efetuados, como demonstrado a seguir:

1º 8,96% a.m. divulgada em 17/08/10
2º 8,89% a.m. divulgada em 07/08/10

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

O que é uma Conta Investimento?

A Conta Investimento (CI) foi criada em 1º Outubro de 2004 e revogada pelo BACEN em 4 de maio de 2010, funcionava como uma conta de depósito que permitia ao investidor, seja ele pessoa física ou jurídica, migrar de um investimento para outro. O grande apelo da CI, quando da sua criação, era a possibilidade de migrar recursos entre investimentos sem a cobrança da antiga CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação ou Transmissão de Valores e de Créditos e Direitos de Natureza Financeira), que seria cobrada apenas no débito que ocorresse em valores que não estavam anteriormente aplicados, foi pela cobrança desse imposto não ter continuado que o Banco Central decidiu pelo fim da CI.

Como normalmente ela era vinculada a Conta Corrente os recursos podiam vir dessa conta, assim como podiam vir de depósito em cheque do próprio titular, por DOC e TED – de mesma titularidade. Não existe cobrança de tarifa nesse tipo de conta – as tarifas de transferência de recursos para a CI são cobradas na CC de origem do crédito, caso o tipo de transferência de recurso utilizado seja tarifado pelo banco -, também não são cobrados IR (Imposto de Renda) ou IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), já que ela não tem remuneração, os impostos serão cobrados apenas nos investimentos realizados.

A partir de 1º de Outubro de 2006 os investimentos em fundos de renda fixa ou variável só poderiam ser realizados se fosse efetuado antes o débito na Conta Investimento, os resgates também passam pela CI antes de entrarem na Conta Corrente.

As Contas Investimento apenas poderiam ter até dois titulares, sendo que era vedada a participação de um titular pessoa física e outro pessoa jurídica; apenas investidores estrangeiros, sociedades corretoras e fundos e clubes de investimento eram desobrigados de possuir a CI.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Top 10 taxas de juros: Cheque Especial

A partir de hoje irei divulgar periodicamente as 10 taxas de juros mais altas cobradas no cheque especial. Vale a pena ressaltar que esse serviço está a disposição na íntegra no site do Banco Central do Brasil (www.bcb.gov.br), segundo o mesmo site:

"As taxas de juros divulgadas representam o custo total da operação para o cliente, incluindo também os encargos fiscais e operacionais. Essas taxas correspondem à média das taxas cobradas no período indicado nas tabelas. São apresentadas apenas as instituições que tiveram concessão no período apurado.

Em geral, as instituições praticam taxas diferentes dentro de uma mesma modalidade de crédito. Assim, a taxa cobrada de um cliente pode diferir da taxa média. Diversos fatores como o prazo e o volume da operação, bem como as garantias oferecidas, explicam as diferenças entre as taxas de juros.

Determinadas instituições concedem abono de prazo na utilização do cheque especial. Todavia, isso não é considerado na apuração das taxas dessa modalidade.

Ressalte-se que o cheque especial é uma modalidade que apresenta taxas de juros elevadas. Assim, sua utilização deve-se restringir a curtos períodos. Caso o cliente necessite de recursos por um prazo mais longo, deve procurar modalidades que ofereçam taxas menores.".

Além de mostrar as 10 taxas de juros mais altas mostrarei também qual a posição da instituição no "top 10" anterior - ela aparecerá entre parênteses "()" - e a quantidade de vezes que a instituição já apareceu em nosso ranking - essa aparecerá entre conchetes "[]" - exemplo:
 
1º Banco da XPTO 10,0% a.m. (3)[8]
 
Nesse nosso exemplo a instituição financeira fictícia ocupa hoje a primeira posição com a taxa mais alta do período o valor da taxa ao mes (a.m.), ocupava a terceira posição no ranking anterior e já apareceu oito vezes no nosso ranking. Como essa é a primeira vez que utilizaremos esse sistema apenas a partir do próximo teremos a posição anterior da instituição e as vezes que ela já apareceu.
 
As taxas de juros do cheque especial divulgadas aqui hoje são do período de 21/07/2010 a 27/07/2010 e foram divulgadas em 07/08/2010.
 
1º Banco Citibank 9,62% a.m.
2º HSBC Bank Brasil SA Banco Múltiplo 9,19% a.m.
3º Banco Santander (Brasil) SA 9,18% a.m.
4º Banco Banestes SA 9,10% a.m.
5º BRB Banco de Brasília SA 8,96% a.m.
6º Banco Rendimento SA 8,95% a.m.
7º Banco JBS 8,54% a.m.
8º Banco do Estado do RS SA 8,53% a.m.
9º Banco do Estado de SE SA 8,48% a.m.
10º Itaú Unibanco 8,43% a.m.

domingo, 8 de agosto de 2010

Como identificar uma nota falsa?

Em setembro começarão a circular as novas notas de Real, mas enquanto elas não entram no mercado que tal aprender algumas dicas sobre como identificar alguns traços que mostram a "validade" da cédula? Segue um post meu de outro blog.

Um dos golpes mais comuns e mais antigos é o da nota falsa, muitas pessoas são prejudicadas e ficam no prejuízo. Esse golpe surge do fato da população desconhecer os detalhes de segurança de nosso papel moeda.

Recentemente o Banco Central juntamente com a Casa da Moeda fizeram o anúncio das novas cédulas de Real que entrarão em circulação, notas mais seguras e de maior dificuldade de falsificação segundo os mesmos. As novas notas seguirão o "padrão europeu" elas terão tamanhos diferentes conforme seu valor, sendo a de 2 reais a menor e a de 100 reais a maior, a marca d'água será substituída pelos animais que as representam, como acontece hoje nas notas mais novas como as de 2 e 20, todas receberão sinais holográficos como a nota de 20 e uma espécie de verniz para dar maior durabilidade as notas, essas são algumas das mudanças que ocorrerão.

Mas enquanto isso como não ser enganado? Alguns sinais presentes em todas as notas podem ajudar na identificação e tirar a dúvida da autenticidade da nota, são elas a marca d'água (nas notas mais altas representadas pela efígie da república, suspeite da marca se ela estiver muito escura, repare bem, na nota verdadeira ela é gravada de maneira "suave"), as fibras coloridas, a impressão em alto relevo, as micro impressões (são vários "b" e "c" presentes na efígie e dentro da impressão do valor da nota, tanto na frente tanto no verso, geralmente essas letras não são visíveis ou são borradas), o fio de segurança (que é um item muito facilmente falsificado que em notas mais "grosseiramente fabricadas" é impresso) e o registro coincidente das armas nacionais (aquela "espadinha" dentro do circulo no canto direito da cédula) que é exatamente igual na frente e no verso, se "sobrar" ou "vazar" a nota tem grandes possibilidades de ser adulterada.

Outra boa maneira de tirar a dúvida é comparar a nota com outra de igual valor a qual se sabe que é verdadeira, quando comparada a uma nota "real" os indicios da falsificação ficam mais visíveis.

Se por algum motivo você pegar alguma nota e ficar em duvida da autenticidade encaminhe-se a qualquer banco do sistema nacional, o banco irá recolhe-la e a enviará para análise do Banco Central, os bancos em hipótese alguma irão trocar a nota em que se suspeita a autenticidade, a não ser nos casos em que ficar comprovado que a nota saiu da própria instituição financeira. Caso receba uma nota com suspeita de autenticidade na hora de sacar no seu banco, seja no guichê de caixa ou nos caixas automáticos, entre imediatamente em contato com o seu gerente, não saia da agência, e exija a troca, portanto sempre confira o dinheiro que receber suspeitando de sua autenticidade troque-o na hora não saia da agência, pois caso o cliente saia da agência fica mais difícil do banco efetuar a troca da cédula.
Se o saque ocorreu em finais-de-semana através dos caixas-automáticos não saia do guichê de auto-atendimento e utilize o telefone localizado nessa ambiente para entrar em contato com o banco, passar a numeração da cédula e etc.

Caso você tenha recebido a nota de terceiros e tenha levado ao banco para verificar, ou na hora de efetuar pagamentos, ou depósitos, surgir dúvida quanto a autenticidade da nota o banco é obrigado a recolhe-la e enviá-la para análise, se após a análise ficar comprovada a falsificação o banco não irá lhe devolver valor algum e você irá, infelizmente, ficar com o prejuízo, caso a nota seja verdadeira o banco irá lhe devolver a quantia a qual foi enviada para análise, portanto sempre exija uma via do protocolo de envio da cédula para análise do bacen.

Assim que possível faço um post ensinando a identificar as novas cédulas.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Macys Printable Coupons